sábado, 19 de maio de 2012


Da madureza


Não quero que me compreendam
que me sigam
me aceitem
Já não preciso de aprovações
Licença da idade, talvez
Dos amargos da vida
Não queiram nem saber de mim
Agora sou trem descarrilhado
Rio fora da margem
Ventania sem direção
Se espalhando pelo céu
Devorando  a vastidão
Como é bom esse des-controle
De mim           
Tão solta
 Tão sim

  Denise Magalhães




2 comentários:

On The Rocks. disse...

Viver livre por aí é tão bom...

;)

Bj

Denise disse...

É mesmo Tao, uma conquista...Bjo