sábado, 9 de janeiro de 2010

Preciosidade


Meu querido menino selvagem
Minha noite mais enluarada
Meu mais doce pecado
Minha vertigem
Meu deleite
Não sabes o que sois
Assim em mim
Meu ninho
Solzinho
Sozinho
Em sim

Denise Magalhães

2 comentários:

Luciano Fraga disse...

Denise, tão precioso quanto uma jóia rara à espera de um raio de sol por lapidar...abraço.

On The Rocks disse...

precioso poema. gosto muito dele.

bj