sexta-feira, 18 de setembro de 2009

SINA

Gestos bruscos, carregados de fúria
Contornam seu corpo magro e ágil.
Seu olhar escuro é um beco traiçoeiro
na madrugada atroz.
Um cão raivoso espera no caminho...
Mas eu também tenho raiva
e enrosco minha alma esfomeada em você
deixando que meu corpo viciado se queime em brasa.
Assim, com um animal no cio,
me lanço na escuridão do beco incendiado.

Mas a mesma brasa da dor
é a do amor, meu bem
E eu preciso arder
prá viver
prá gemer
por você.

Essa é a minha oração.

Denise Magalhães

2 comentários:

On The Rocks disse...

belíssimo poema. gosto muito dele.

bj

Luciano Fraga disse...

Esta é minha missa, minha novena, paixão, amor, dor, parceiros, irmãos gêmeos e raivosos, abraço.